terça-feira, 28 de junho de 2011

Simplicidade...

O que faz você feliz?

A lua, a praia, o mar
Uma rua, passear

Um doce, uma dança, um beijo

Ou goiabada com queijo

Afinal, o que faz você feliz?


Chocolate, paixão, dormir cedo, acordar tarde

Arroz com feijão, matar a saudade

O aumento, a casa, o carro que você sempre quis

Ou são os sonhos que te fazem feliz?

Dormir na rede, matar a sede

Ler ou viver um romance

O que faz você feliz?


Um lápis, uma letra, uma conversa boa

Um cafuné, café com leite, rir a toa

Um pássaro, um parque, um chafariz

Ou será o choro que te faz feliz?


A pausa para pensar

Sentir o vento, esquecer o tempo

O céu, o sol, um som

A pessoa, ou o lugar?


Agora me diz, o que faz você feliz? -Poder dizer I GOT MY VISA

P.S.: Escrito em 28/06/2011 às 01:24.
P.S. 2: Meus parabéns pra Gisa Ramos e pra Bruna Damasceno que também ficaram muito feliz de ter dito essa frase milagrosa hoje.
P.S. 3: Depois conto os detalhes pra vocês.

Vou te contar,

Acho que vou produzir meu primeiro post curto, só informando:
Hoje decidi terminar meu DS-160, fui lá, tirei a foto por RS:10,00, na loja ao lado era 30,00.
Bem, como era de se esperar, a foto ficou horrível, e o pior é que o sistema recusou, tirei outra foto, mais 10,00 e o sistema recusou de novo. Entrei no grupo do facebook e as meninas me disseram que é pq as vezes dá erro, mas é só esperar e tentar de novo no dia seguinte. É o que vou fazer, se não for aceito vou reclamar nas lojinhas que tirei a foto e repetir a foto digital até dar certo, ou vou levar a impressa mesmo, não sei.
Dica: Tira a foto digital e já testa no site da embaixada na frente do vendedor, só compra a foto se for aceita, assim vc não corre risco de gastar à mais.
Sei que foto do fomulário do visto não é motivo pra tempestade, mas acho que depois do contrato de casamento esse formulário será o documento mais importante da minha vida, quero fazer tudo no capricho.
Ah! Menti no preenchimento! Calma, mas foi pq não lembrei do endereço da loja, ai preenchi com o do meu antigo emprego mas amanhã quando trocar a foto já mudo isso também. :p

Agora estou torcendo pra que tempo voe e eu possa superar logo essa agonia.
Good thinks, good things!

domingo, 26 de junho de 2011

Sobre mudanças...

Uma coisa estranha em se mudar sabendo que vai voltar é que parece haver toda uma infinidade de coisas para providenciar, e ao mesmo tempo que tudo está pronto.
Quero fazer tanta coisa antes de ir e ao mesmo tempo só quero ficar na minha cama, dormindo, lendo um livro, falando com algum amigo que eventualmente descobre pelo facebook que (pretendo ir não), que vou embora em um mês.

Já deixei o drama do visto nas mãos do destino e consegui definir alguns objetivos, como ler os 13 livros que já comecei e parei diversas vezes, também já comecei a baixar minhas músicas favoritas (de novo), já que meu irmão fez o favor de sumir com meu mp4 e todas as minhas 2.000 músicas lá guardadinhas.
Aliás, música deveria ser um capítulo a parte nessa vida de Au Pair. Já sou naturalmente uma pessoa musical, que acredita que toda música tem algo a ver comigo ou com uma situação que estou vivendo. Partir para a terra do Tio Sam me fez rever minha sonoplastia e valorizar (ainda mais) coisas que só escuto no carnaval ou em festas de domingo á tarde na beira do Lago, como Jorge Ben Jor, Tim Maia, Gonzaguinha e por ai vai...
Afinal, não dá pra ser uma Brazilian Au Pair sem contar ao mundo que Moro num país tropical abençoado por Deus e bonito por natureza.

Todo o tipo de música brasileira que americano gosta de ouvir e brasileiro de cantar já está sendo providenciada, quem sabe não consigo montar uma festa da música Tupiniquim em San Francisco?
Ficamos tão patriotas com esse programa né, quero comprar camiseta da seleção, todos os modelos de havaianas e uma bandeira gigante do Brasil, já me imagino tirand fotos na Golden Gate com minha blusa do mengão. Chega a ser engraçado querer tanto viajar pra um outro pais e submergir em outra cultura, mas ao mesmo tempo querer levar o máximo de informação e lembrança de nossa terrinha.
Tem horas que me sinto uma turista buscando souvenirs sobre o Brasil e colecionando fotos para levar pra casa.

Por outro lado, algumas coisas ainda são dúvidas pra mim, como vender minhas coisas, doar roupas, pelúcias... esvaziar meu quarto. Sei que é o que muitas meninas fazem, até para levantar algum dinheiro pra gastar lá, mas não sei se é egoísmo, materialismo ou qualquer outro ismo, só não consigo conceber que vou me desfazer das minhas coisas se estarei de volta em um ano.

E direto me pego pensando que tenho que fazer isso ou aquilo antes de ir, de uma forma que faz parecer que nunca mais voltarei, ou que quando voltar as coisas não serão mais as mesmas não terá mais sentido fazê-las, e ai eu torço pra que tudo mude, mas que tudo esteja no mesmo lugar e me traga a mesma satisfação quando voltar:
Como ir a um show do carnavália, tomar caipirinha e cantar, dançar e pular ao som de marchinhas de carnaval vendo o pôr do sol mais bonito do Brasil;
Passar de ônibus pela esplanada todo dia e ainda assim admirar a beleza da minha cidade;
Sair do meu boteco favorito às 2h da manhã prometendo aos meus garçons prediletos que da próxima tomo uma cerveja com eles;
Me arrumar toda pra ir tomar vinho barato na frente do Palácio do Planalto enquanto discutimos política e outras frivoliades;
Fazer churrasco ao invês de almoço no sábado a tarde, meus tios aparecerem e começarem uma festa familiar que vai durar até o domingo a noite;
Sair correndo atrás do meu cachorro por que bem na hora que estava saindo super atrasada ele conseguiu fugir e agora quer brincar de pega-pega;

Quero que as pessoas que não podem viver sem mim fiquem bem mas continuem não conseguindo viver sem mim;
Quero continuar sendo a única mulher que não é chata na vida de um mala de quem gosto muito, e que a distância me aproxime de meus amigos ao invês de nos afastar.

Quero deixar minha vida, e levar uma nova vida, e voltar pra minha vida
...
Quero ser Au Pair!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Organizando a vida? A velha história da tensão pré-visto

Minha gente bunita e cheirosa da internet, só quem vive a aventura de tentar ser parte de uma família americana por 01 ano sabe a ansiedade que é esperar pela aprovação de um visto. Eu não sou nada diferente! Na última semana tenho intercalado momentos de calma e ocupação com o desespero de conseguir ou não dizer a frase mais comemorada por 986 membros do facebook: I Got My Visa!

Não paro de ler os blogs e as postagens de todas as queridas colegas au pairs que também se descabelam e não param de discutir a melhor forma de conseguir a aprovação da turma do Tio Sam, e sinto aquela ansiedade misturada com alegria e muita esperança de que na minha vez tudo possa correr bem também.

Vou tirar meu visto na Embaixada em Brasília, daqui a duas semanas, e a grande dúvida é: MENTIR ou NÃO MENTIR na entrevista, eis a questão?
Verdade seja dita: vida de Au Pair é assim mesmo, você sempre dá uma maquiada nos seus atributos, conta uma vantagem, inventa uma história, enfim, usa de pequenas táticas para ter o melhor ano possível, e sem culpa, porque uma mentirinha regada de boas intenções como as nossas não pode prejudicar ninguém né. :)
Além do mais, reza a lenda de que só provando os vínculos você tem com o Brasil seu visto será aprovado.

Poxa, amo meu país e quero muito ser diplomata quando voltar, a idéia original era passar só 06 meses nos States, mas infelizmente, aparentemente pro governo americano esse desejo sincero e minha palavra não são o suficiente. Para ser bem recebida e ainda assim querer voltar pro meu Brasil brasileiro eu preciso minimamente ter:
- Emprego
- Estar estudando, e
- Talvez um namorado/ homem da minha vida também ajude.

Mas eu não tenho nada disso!
- Larguei meu emprego pra ser au pair, porque pensei que o processo fosse rapidinho e o emprego atrapalharia, saí em abril, até trabalho como cerimonial de eventos em casamentos há 05 anos, mas pow, um freelancer de uma empresa que nem registrada é pega bem ou mal?
- Sou formada em Relações Internacionais há 01 ano;
- E Amo minha vida de solteira, em qualquer lugar do mundo.

A verdade meninas, é que estou com os seguintes medos:
- Falta de carteira assinada e facul, apesar do trabalho em eventos;
- Meu pai é desempregado e não me ajuda financeiramente, não somos tão "super closer" como coloquei no app;
- Minha casa, que é minha mesmo, está no nome da minha tia, porque nunca tive interesse de passar pro meu, então comprovar riqueza, só se for de espírito;
- Minha mãe é minha sponsor, e está me ajudando de verdade, mas o extrato da conta bancária dela, e o meu também, não andam muito atraentes (culpa do programa), mesmo ela sendo funcionária pública.

Diante disso vem aquela vontade de mentir no preenchimento dos documentos, pedir a um amigo que te dê uma carta comprovando emprego em qualquer coisa, fingir que está matriculada em alguma pós, e por ai vai... Mas e o medo? E se pedirem meus documentos? E se eles pesquisarem minha vida antes da entrevista? E se bem na minha entrevista eles usarem um detector de mentiras? E se a CIA depois da morte do Bin Laden estiver me investigando mais que aos terroristas da Al-Quaeda?
Minha nossa Senhora das Au Pairs, me acode!
Afinal, são os Estados Unidos da América né? Não deve ser fácil entrar lá.

Daí, não paro de pensar, ler, pesquisar e tentar descobrir a fórmula perfeita pra se conseguir o visto instantâneo, e no meio desse vuco-vuco me deu um flash meninas: optei pela verdade! Claro que essa opinião ainda vai mudar umas 600 vezes nas próximas duas semanas, mas por enquanto decidi que quero entrar nessa jornada sendo autêntica, que se eles quiserem me aceitar assim: Maravilha, caso contrário, vou chorar, vou sofrer, se o dinheiro der vou tentar de novo e caso nada dê certo... Vou atrás de outra coisa.

Moral da história: Cansei de me descabelar pensando em como preencher o DS-14895, ou de tentar comprovar o óbvio: quero ir, mas pretendo voltar.

Quero ir pra terra do Tio Swazeneger sim, e quero MUITO!, mas quero ir bem Mayara, sendo honesta, jogando limpo, sem medo de ser apenas uma brasileira comum buscando aventura e amadurecimento em terra estrangeira.

E assim, a cada dia essa ansiedade vai virando rotina e tenho conseguido ficar mais calma e mais confiante. Ainda não tive coragem de comprar malas e presentes (a trava de murrinhagem me impede), também não recuso desejos de boa sorte, rezas e bençãos. Mas cada vez mais sinto que logo poderei berrar aos 4 ventos o orgulho de estar indo limpar bunda de dois bebês lindos nos States.

Pra terminar, desejo Parabéns as que já conseguiram, e Sucesso pra mim e pra todas as meninas que tem cultivado esse sonho e esse medo! Que saibamos nos alegrar com nossas conquistas ou reconheçer nossa coragem por tentar.

Have a nice V-day!

quarta-feira, 15 de junho de 2011

De repente, Califórnia


Está difícil escrever este post, porque tudo aconteceu tão rápido e tão de repente que mal estou acreditando que é comigo.
Se ontem eu era toda empolgação, hoje parece que estou anestesiada. Não consegui acompanhar a rapidez com que tudo aconteceu.
(Irônico como a gente deseja que tudo aconteça rápido e quando acontece: PUFF! Você fica totalmente paralisada).

Mas é oficial, I HAVE A MATCH! Após 7 e-mails e uma conversa de cerca de 1 hora e meia no skype a host mom me diz:
-Mayara, I fell very fit with you, and I think we can match.
(Silêncio)
Uauuu!!! Ainda estava tentando acompanhar o que aquela mulher queria dizer, e sem entender totalmente respondi sem ter muita noção do que dizia que desde que vi o perfil deles me interessei muito pela família dela e que concordava com o match.
E foi assim, sem luzes piscando, sem sinos tocando, sem música ao fundo que aceitei integrar aquela família.

Fiquei olhando o monitor sem ação e sem acreditar no que estava acontecendo enquanto ela me dizia que ia comunicar a Cutural Care no dia seguinte, ou quando ela disse que se surgisse alguma dúvida eu poderia enviar um e-mail.
Falei mais algumas coisas, já nem lembro bem. Desliguei o computador e um sorrisso começou a sair do meu rosto. Aquele sorriso que é quase um pulo, quase um grito sabe?, um sorriso incontrolável que quer virar gargalhada, mas você tenta controlar. Meus olhos começaram a brilhar como se fossem uma queima de fogos.
Começei a procurar outras au pairs em San Francisco e a falar com as amigas sobre tudo. Empolgação era meu nome.

O mundo ficou lindo, absolutamente mágico... até que começaram as dúvidas: Ai Meu Deus esqueci de falar do curfew, eita, também não falei da TV, do celular, dos feriados... de tanta coisa.
Ela não vai me emprestar o carro, e agora?
Para tudo!!! Fiz um péssimo match?
Fiz um péssimo match!!!
(Ahhh!! DESESPERO!!)
Vou ser muito infeliz! Volta tempo, SOCORRO! Alguém me ajuda, decide por mim.
(CAOS, está escutando os raios e trovões?)

Gente tive vontade de chorar, de voltar no tempo... De ter certezas.

Daí respirei fundo, escrevi um e-mail para minha host e perguntei sobre o curfew, pedi o endereço dela e perguntei se ela me emprestaria o carro nos meus free days. Disse que faria mais perguntas no nosso próximo encontro.

Resultado:
Ela me respondeu rapidinho e tirou minhas dúvidas.
Sobre o carro disse que eu tenho pouco tempo de carteira e por isso não se sentia a vontade em emprestar, mas me deu uma alternativa, ainda me mandou o link para visualização da rua dela no google.

Moral da história...
Entendi que não estou indo para uma família super rica, trabalhar poucas horas, e viver de balada. Sei que não vou pra Califórnia viver a vida sobre as ondas...
Mas quer saber? Eu satisfeita! Porque vou para uma família com a qual me identifiquei, onde senti que posso superar meus desafios e cumprir àquilo que me propus: Ter uma experiência de vida, de amadurecimento.

Não tenho vergonha de falar que estou cheia de medos e que não dormi a noite inteira pensando sobre minha decisão. Mas eu acho que esse é um comportamento natural de quem parte pra essa aventura com os pés no chão, sabendo das dificuldades que nos esperam, e mesmo assim, vai cheia de vontade de fazer parte dessa nova família e de viver esse sonho de olhos abertos aproveitando ao máximo cada novo amigo, cada viagem, cada lugar diferente, curtindo cada momento.

Pois é isso: garota,...
Eu vou pra Califórnia, e

Eu vou dar a volta no mundo, pular o muro
Mergulhar no escuro
Sartar de banda
Pois na minha vida ninguém manda não
Eu vou além desse sonho...


Seu Francisco ai vou eu!!!

terça-feira, 14 de junho de 2011

Produzindo meu Vídeo

Afobada e anciosa como sou, assim que soube que estava online e precisava produzir meu vídeo pirei. Começei a buscar dicas em blogs, ver todos os 894 vídeos de candidatas da minha agência, a procurar coisas interessantes no you tube que pudesse incluir e por ai vai...

O resultado é esta maravilhosa produção digna de ... bem, avaliem por sí mesmos.

video

Sério gente, passei uma semana treinando o inglês, dirigi 40km até o Parque da Cidade depois de uma cirúrgia para gravar o vídeo mais perfeito, e na hora da edição... :(
(FAIL)
Juro pra vocês que há uma semana atrás estaria desesperada com o assunto, já teria brigado comigo mesma diversas vezes por ser tão incompetente e por não conseguir fazer melhor.
Mas verdade é que estou na minha segunda semana online, e estou bem menos afoita, acho que o fato de duas famílias terem visualizado o meu perfil ajudam.
E querem saber? Estar mais tranquila tem me feito tão bem, parece até ter atraído famílias também, pois três me mandaram e-mail essa semana dizendo estar seriamente interessados em mim.
Olha que bom! As preocupações não desapareceram, claro.
Quero ter logo meu match, saber que vou conseguir meu visto, e principalmente saber que vou ter dinheiro o suficiente para custear esse sonho.
Mas agora estou tentando viver uma etapa por vez.
Parei de me desesperar cada vez que vejo uma crítica sobre a agência que escolhi,
e de adicionar todas as famílias californianas no GAP, ou de responder aos e-mails de forma desesperada e imediata.
Não sei até quando essa calma vai se manter, e espero que o match venha antes dela sumir.
Eu vivo falando pra meninas que tudo tem seu tempo, então é melhor começar a acreditar nisso certo!
Ah gente, por favor postem opinioes sinceras hein, porque assim que meu outro eu ancioso e perfeccionista voltar elas serão utilizadas nas mudanças do vídeo.
Apesar de esperar não ter que mudá-los!

Beijos**

sábado, 4 de junho de 2011

Application da Cultural Care

Este post super-mega longo é dedicado as meninas que estão respondendo seu application ou que querem começar este sonho mas estão meio perdidas.
Para as iniciantes que não sabem do que se trata, o application é um questinário com uma série de perguntas que vai gerar o seu perfil no site da agência escolhida.
Quando respondi o meu fiz tudo meio na correria, pois começei dia 15/05 e só poderia entregar no máximo até dia 20/05 se quisesse ter a possibilidade de embarcar até julho. Ou seja, 05 dias pra arrumar tudo: Fotos, questionário, referências, entrevista de inglês, atestado médico: TUDO!
Claro que eu poderia esperar para o próximo mês, mas perder a chance de partir logo pra essa aventura? Nananinanão.

O que posso dizer pra vocês da experiência de ter produzido meu app assim tão rapidinho é: Se você se esforçar dá sim pra responder, e a minha humilde opinião, o resultado pode ser muito bom!

Foi muito difícil pra mim encontrar posts objetivos sobre o application da minha agência, por isso resolvi fazer este pra ajudá-las a ter pelo menos uma idéia do que vai ser perguntado e sobre o que vai realmente contar.

Vamos pôr as mãos na massa?
1º Sua agente da CC vai te mandar um link para que você crie um login e senha para começar o application.
2º Vai aparecer uma página com os tópicos que você responderá. O application só aparece dessa forma para você, e apenas enquanto está respondendo. Quando você der o submitt definitivo e ficar online a ordem e a formatação do seu application mudarão, portanto o que é importante? Bem, na verdade tudo, mas o que aparece com mais destaque para as famílias que estarão analisando seu perfil é:

1ª página:

Sua foto e do lado a famosa perguntinha Why I want to be an Au Pair?

Coloque sua foto visível e sorridente, eu preferi uma foto sozinha, mas se tiver uma foto legal com crianças melhor ainda.
As palavras chave para responder a pergunta acima são: I love children, improve english, make new friends and cultural exchange.

Logo abaixo vem a Letter pra Host Family, não poupe palavras, começe falando sobre você, sua cidade, família, suas qualidades (responsável, paciente, criativa e etc) e objetivos, experiência com crianças, atividades que pretende desenvolver e termine colocando outras vez as razões pelas quais quer ser au pair, mas coloque de outra forma agora. Esta será a pergunta mais repetida, portanto seja criativa e sempre coloque algo atrativo e diferente, é interessante colocar também que busca ser um membro da família (mesmo sabendo que está indo lá para trabalhar).
Termine com um Best Regards ou I hope we have a good match.

Daí começam as perguntas, como disse, todas vão aparecer, mas estas terão maior destaque, escreva bastante e não economize teclado não:


Hobbies

1- Do you play any sports?
A partir de hoje é a maior esportista da história brasileira, ama jogar basquete, volley, soccer (nada de futebol ok?), se você dança coloque aqui, e ponha também que adoraria acompanhar as crianças em atividades esportivas e aprender esportes tipicamente americanos ou ensinar esportes brasileiros.

2- Do you enjoy music?
Essa é uma ótima pergunta para as que tocam algum instrumento, se for o seu caso, não se intimide e coloque com detalhes quando aprendeu a tocar e a importância da música em sua vida, mas caso assuste até os gatos mais desafinados (meu caso) diga apenas que ama música, e que adoraria cuidar de crianças com habilidades musicais.

3- What kind of outdoor activities do you like?
Vai ser quase a resposta dos esportes novamente, diga que gosta de passear, conheçer lugares diferentes e encha mais linguiça.

4- Do you like creative activities?
Adora!! Você gosta de origami, contar história, teatrinho, fazer artcrafts e quantas coisas mais vierem a cabeça. Use a imaginação e diga o que pode agregar para a host family e o que quer ensinar para as crianças. Se for o caso, diga que está montando uma pasta de atividades para desenvolver com eles.

5- Please describe any other activities or interests you participate in and enjoy suh as going to the movies, museums, reading, cooking, travel, etc?
Gente, como eles gostam de repetir né. Mas não desanimem e coloquem coisas diversificadas pois essas perguntas ficam uma ao lado das outras. Eu escolhi um dos exemplos acima, travel, e explorei dizendo as vantagens de viajar.

6- What activities (outdors and indoors) would you like to do with the children in your host family?
Explore as outdoors activities dizendo que quer passear muito com as crianças e inovar e diga que quando estiverem em casa vão montar quebra-cabeça, desenhar, pintar...
As palavras proibidas aqui são: ver TV, dormir e coisas monótonas do gênero. Escreva que deseja ensinar sua língua, isso também é legal.

7- Please describe any other talents or skills you have that would be useful when caring for children?
Já não basta todos que coloquei antes? Calma! Coloque aqui o quanto você é paciente e carinhosa.

Pronto! Acabou a parte mais chamativa. E se a Host Family leu essa parte e gostou você tem grandes chances de evoluir esse interesse para uma conversa.

A partir daqui vem:
Personal Info;
Endereço, Telefone, e-mail (se tiver skype melhor).

Family Information;
Mãe, pai e onde trabalham, e nome e idade dos seus irmãos.

Life at Home:
Aqui temos duas perguntas importantes
1- Relacionamento familiar (Tell us about your family):
Você tem um relacionamento incrível, não importa se você e seu irmão não se falam desde o Natal, vocês são Super Closer. E mesmo se sua mãe estiver te enchendo o saco por você ir, atenção: Todos estão te apoiando!!
Ah! Se tiver cachorrinho menciona ele também.

2- Experiência em cuidar da casa (housesold duties):
Não faz idéia de como lavar roupa ou fazer um arroz? É bom aprender antes de ir.
Mas May, tenho medo de colocar que sei fazer tudo, chegar lá e eles me explorarem como doméstica: seguinte, coloca que você tem responsabilidades na sua casa como lavar pratos e manter seu quarto limpo e arrumado, é muito organizada e limpa e gosta de cozinhar. ;)

My lifestyle:
1-Do you smoke?
Sempre coloquem NO. E meninas, se fumarem, é bom perder o hábito, ou saiba desde já que vai perder várias famílias. Nem pense em mentir e fumar escondido lá. Até porque a CC nem aceita Au Pair fumantes né.
Que tal fazer uma promessa? Se eu conseguir uma família linda paro de fumar? Mas tem que manter hein.

2, 3 e 4- Você aceita viver com animais (gatos e cachorros), tem algum tipo de animal que não gostaria de viver?
Eu adoro bicho, mas se você tem medo é uma coisa que chegando lá não dá pra esconder né.
Coloquei o óbvio, que não se sentiria a vontade com animais perigosos, mas adoro dogs e cats.

5- Você segue alguma dieta especial?
4- Aceitaria viver com uma família que segue uma dieta especial?
Essas duas também são respostas muito pessoais que ajudarão você a encontrar uma família mais ajustada ao seu perfil.

Personal Information:
1- Religião:
Eu fui honesta e coloquei que sou católica mas só frequento no Holidays, eles dizem que religião não influência, acho mentira se forem religiões muito distintas pode inviabilizar um match sim.
Mas não dá pra ser testemunha de Jeová e fingir que não está nem ai pros seus costumes né.
Se a família não consegue conviver com essas diferenças azar o dela. Pessoas intolerantes não se encaixam como boas hosts families.

2 - Outras:
-Estado Civil: Unmarried
- Do you have a boyfriend:
Não tive esse problema, mas tem muitas meninas que vão namorando. Honestamente, acho que você colocar que vai namorando gera muito mais perguntas. Já que seu namorado não vai com você, apenas coloque No. E não deixe ele ver (óbvio), mas isso é uma opinião pessoal.

- Do you have any tattoos or piercings?
A não ser que seja uma tattoo muito íntima que eles jamais, mas jamais mesmo vão ver coloquem meninas, e mandem também uma foto da tatuagem ou do piercing com os motivos pelos quais você as fez. Mentir sobre isso pode gerar Rematch.

Qualifications:

Driver's License: Coloque a data que tirou sua habilitação, mas se sua habilitação é recente sugiro colocar o practice driving pelo menos desde a data em que começou suas aulas na auto-escola.
Vão perguntar sobre sua experiência no trânsito, marque o máximo de opções, mas não minta sobre experiência em dirigir na neve, coloque também que tem experiência em dirigir com crianças dentro do carro e que é muito atenta ao trânsito.

Swimming Education

Eles exigem apenas o nível médio, mas se você tiver educação superior coloque e coloque o porque da escolha do curso. Coloque também o que sua formação pode colaborar na sua viagem ou no cuidado com as crianças.

Childcare Experience

Essa parte é fundamental quanto mais experiência melhor, peça aos seus amigos referência como se fossem vizinhos, participe de trabalho voluntário em escolas ou igrejas;
Na cultural care você tem dois tipos de referência:
1 - pessoal
2- profissional

As duas são necessárias, mas valorize mais as profissionais, pois são as que comprovam sua experiência com crianças, você pode enviar suas experiências por email ou caixa postal, por e-mail, só se a pessoa tiver inglês fluente. Utilize-as nas suas experiências pessoais, pedindo a um professor de inglês para responder.
Nessa parte aparecem só as experiências profissionais.
A maioria é objetiva e de marcar, mas tem uma pergunta que acho muito importante:

Explain what that additional experience might be:
Nessa parte eu fui além de falar sobre as atividades desenvolvidas com as crianças, falei sobre minha relação com eles, e de vez em quando coloquei alguma coisa marcante, exemplo, quando ele era menor era muito fã do homem aranha e dizia que eu era sua Mary Jane Watson, coisas bonitinhas e que mostrem intimidade com a criança.

Health Information

Se você já teve doenças como sarampo, catapora e caxumba coloque, de resto melhor marcar não.

Au Pair Year

1- Why do you want to be au pair?
De novo, mas tenho a impressão que é a mesmo resposta que aparece lá em cima.

2- Why should a family should you to be their au pair?

Realce suas qualidades e os valores mais importantes para você. As palavras mais interessantes de serem incluídas são: Flexible, responsible, creative, patient, fun and active.

3- What would you like to accomplish during your time as an au pair?

O que você quer realizar lá, se está afim do green card ou de um marido americano melhor esconder suas intenções, mas seja honesta e não esqueça de incluir que quer ter uma relação saudável e legal com a família e as crianças.

4- What would you like to do when you return from your time as an au pair?

Coloque o que pretende fazer quando voltar e no que ser au pair durante o ano vai te ajudar.

References

Aqui é que entram as referências pessoais, abuse dos seus amigos falantes em inglês e peça que eles respondam pra você. Servem amigos, professores, chefes...
Se você preferir responda para eles e peça apenas para acrescentarem alguma coisa, assim não corre o risco de ter várias respostas repetitivas.


Álbum de fotos

Na Cultural Care você pode postar 20 fotos + a sua foto do profile. Minha sugestão é:

1 foto com a família;
1 foto com amigos
1 ou duas fotos sua sozinha;
De resto abuse em fotos com crianças, se você colocar muitas fotos pode fazer colagem, caso contrário é melhor evitar.
Se for fazer uma sessão de fotos troque de roupa, sua e das crianças, mude tb sapato, ambiente e penteados.
Priorize fotos em parques, brincando e fazendo atividades esportivas, é legal ter uma lendo com a criança ou montando quebra-cabeça.
Aproveite para fazer alguns vídeos também nesse mesmo dia, assim você adianta seu trabalho.

Use legendas curtas.
Ex.: Nina and I playing soccer.
My family in my graduation.
My friends Andrea, Catarina and I having fun.

E é o fim!

Quis fazer este post devido a minha própria dificuldade em montar meu app. Eu não coloquei tudo exatamente como fiz no meu, até porque detectei alguns erros depois que fiquei online. O post tenta produzir o que na minha opinião é um app atrativo para as FAMÍLIAS, mas estou on há apenas duas semanas, e claro que posso estar enganada.
De toda forma, espero que ajude as aspirantes a au pair a ter muito sucesso e conseguirem seu match bem rapidinho.

Quer uma dica realmente útil sobre seu app? Ai vai... Antes de produzir o documento da agência faça o app do Great Aupair (GAP) e do Aupair.com, inclusive entrevistas, quanto mais você escreve mais idéias tem e mais se aperfeiçoa em "vender o seu peixe".

Outra coisa, peça a um amigo que fale bem o inglês para revisar. Eu não fiz isso e me arrependo, minha agente disse que era interessante deixar como eu respondi para verem meu nível de inglês, mas o app é nosso produto, é a partir dele que seremos selecionados, então quanto melhor ficar, maiores as chances de uma família fantástica te escolher.

Então é isso: Muito cuidado e bom senso, pois este documento vai ajudar ou atrapalhar muito na realização do seu sonho.
Tentem ser honestas mas não se esqueçam de vaorizar o que há de melhor em vocês. Nada de responder a TPM. Rs

Sei que o post está enorme, mas parece faltar sempre alguma coisa, caso surjam dúvidas podem perguntar.
Espero ter ajudado.
Um beijo,
May.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

E então se fez a luz...

Olá a todos, sou Mayara Aguiar, 21 anos, brasiliense, solteira, e na maioria do tempo muito feliz.
Prefiro ser chamada de May (Sempre e por todos).
Sou formada em Relações Internacionais e já quis ser muita coisa na minha vida, aliás, acho que já quis ser quase tudo, mas de todas as idéias que ficaram na minha cabeça uma das mais interessantes foi ser atriz, olha que eu até acho que levava jeito pra coisa, prestei vestibular, passei, e na hora de me matricular... Fui convencida pela minha família de que isso não dava dinheiro e era melhor tentar outra coisa primeiro.
Foi quando surgiu Relações Internacionais, enfim adoro política, as oportunidades de emprego que viriam pareciam promissoras, assim como o salário: Resolvi tentar! E hoje quatro anos depois de vez em quando paro e penso: -Mas onde diabos é que tirei essa idéia maluca de fazer esse curso doido?
Calma! Não é de todo um arrependimento, só uma indecisão, e no meio dessa indecisão há dois anos atrás, em 2008, surgiu uma oportunidade de ver a vida e esse curso por um novo ângulo.
Lá estava eu assistindo o Jornal Hojequando aparece uma reportagem sobre o Programa de Au Pair, eu sempre quis fazer intercâmbio, mas nunca consegui juntar muita grana pois era apenas uma estagiária, então o Au Pair parecia perfeito, simples, seguro, barato. Tudo o que eu precisava.
Falei com uma amiga e ela me disse que era loucura: -Ir pra outro país pra ser empregada e limpar bunda de filho dos outros, você está louca? Eu jamais faria algo assim!
Contei pra minha mãe e a reação foi bem parecida, com a diferença que ela acrescentou: - Você não vai de jeito nenhum.
Pois é minha gente, eu sou aquele tipo de pessoa que valoriza muito o que minha mãe diz, até porque era ela quem pagava minha faculdade. E se nada desse certo? Não podia ir sem o aval dela né, sendo assim, desisti.
E sabe aquela minha amiga? Que disse que jamais faria algo assim? Foi no mesmo ano, conseguiu uma família perfeita (aliás 2 famílias perfeitas) e voltou este ano super feliz me dizendo: -Amiga, você tem que ir. Essa é umas das melhores experiências que você pode ter na vida!
Meninas, É nessa hora que rola uma mistura de raiva cominveja, com frustração com felicidade por ter estado certa.
Eu nunca havia desistido da idéia, mas já estava trabalhando em uma empresa da minha área, porém estava MUITO INFELIZ, precisava realmente de um novo objetivo de vida, as largar tudo assim? Certo dia, depois de vários problemas no trabalho pedi demissão e meia hora depois decidi: Agora vou definitivamente ser Au Pair, fui correndo pro meu computador rever as agências e preços do programa e fiquei extremamente empolgada quando vi que o preço atual cabia perfeitamente no meu orçamento.

E assim começa minha saga como Au Pair, mas com as seguintes diferenças:

Hoje
Tenho pelo menos a grana do Programa;
Certeza do que quero;
Diploma na mão;
Estou On pela CC;
Tenho vários amigos me apoiando;
Tenho um pouco menos de paciência com crianças e um pouco mais de medo (acho que é da idade né).

Mas sabe o que achei mais legal nisso tudo? Ver que não estou sozinha nesse sonho não. Tem muita menina por ai com a história muito parecida, os mesmos medos e a mesma vontade. Nessa hora o facebook e os blogs de todas elas tem me ajudado muito, pois por mais que tenha pesquisado minunciosamente, hoje vejo que sabia muito pouco sobre o programa, e compartilhar das experiências delas tem ajudado muito.

Ainda existe um monte de coisas que não entendo, mas com as quais estou me adaptando, por exemplo:
-Pensei que eu fosse a única pessoa formada querendo ser babá no exterior;
-Pensei que conseguir uma família era super simples, não fazia idéia do que era, de quanto podia demorar e nem que existia MATCH;
-Pensei que o application fossem apenas algumas fotos e perguntas;
-Não pensei que tirar o visto daria medo;
-Pensei que meu inglês fosse bom;
-Pensei ter muita experiência com crianças (e até tenho) mas cadê as fotos pra provar??

Pensei em desistir de novo, mas ai repensei e não paro de pensar em encontrar uma família bacana.
E parando pra pensar: Eu sei que os desafios serão muitos, já estão sendo.
Eu durmo e acordo pensando se alguma família já entrou no meu perfil, pra onde vou e como serão as crianças que vou cuidar. Tenho respirado ser Au Pair, especialmente nas duas últimas semanas, produzindo app., lendo blogs, criando perfis em agências de au pair, procurando idéias para o vídeos.
E aqui estou, cheia de inseguranças, ansiedade, mas totalmente Au Pair, apenas esperando ser adotada pela família perfeita (de preferência o mais rápido possível).